Deputado estadual Pastor Eli Borges condena implantação do KIT Gay (Ideologia de Gênero), nas escolas do Tocantins
02/06/2015 22:56 em Tocantins

O projeto foi rejeitado pela Câmara dos deputados, no entanto, estão sendo inseridos nos Estados e Municípios

Fonte: Ricardo Costa/JM Notícia

 

Em entrevista ao JM Notícia, nesta segunda-feira (01), o deputado Estadual Eli Borges (Pros - TO), comentou o Documento Referência do Plano Estadual de Educação do Tocantins, proposto pelo Governo Marcelo Miranda e pelo Secretário de Educação, Adão Francisco de Oliveira.

O deputado na ocasião, manifestou total preocupação com o plano proposto pelo Governo do Tocantins, onde no Documento Referência, propõe inserir nas escolas públicas, a Ideologia de Gênero, conforme descrito no tópico 12.6 que diz:



                     12.6 Garantir condições institucionais para o debate e a promoção da diversidade ético-racial, de gênero, diversidade sexual e religiosa, por meio de políticas pedagógicas e de gestão especificas para esse fim.

De acordo com o deputado Eli Borges, esse tópico, citado acima, já foi rejeitado pela Câmara dos Deputados, denominado de KIT GAY.

                                       “Esse projeto de Ideologia de Gênero, foi rejeitado pela Câmara, agora querem implantar nos Estados, sem                                          o consentimento das famílias”, disparou o parlamentar.

Eli Borges definiu a Ideologia de Gênero, como desconstrução total da família tradicional, que tem sua base, na Biologia como Ciência, e na Bíblia, o livro que fala da criação, para a construção de um novo modelo de convivência social, onde a pessoa, não define a sua sexualidade pelo seu nascimento, pela sua anatomia, macho e fêmea, mas pela sua percepção social, abrindo brecha para um novo modelo de vida, que é o incesto, pedofilia, e a busca homo afetiva.


CNBB CONTRA

Nos últimos dias, padres foram orientados por carta do secretário-geral da CNBB, Dom Leonardo Steiner, bispo auxiliar do DF. Na carta, ele alertou que os planos estaduais e municipais estavam em finalização sem a participação dos pais e da própria Igreja, o que, segundo ele, fazia-se necessário para tentar barrar a ideologia de gênero nas escolas. No bojo, a preocupação com a linha liberal de professores e entidades que abordam orientação sexual e ideologia partidária nas aulas. 

Confira

JM Notícia – Deputado, como o senhor vê a possível implantação da Ideologia de Gênero no Estado?

Eli Borges - De duas formas: Primeiro, usando o ataque. Todos que se opõem, eles chamam de homofóbico, preconceituosos, pessoas capazes de discriminar e ausentes de sentimento, de amor e misericórdia. Em outros aspectos, trilhando os caminhos das leis, sobretudo, daquelas que tratam da grade curricular das escolas. O Plano Nacional retirou esse novo conceito de família, retirou a Ideologia de Gênero, retirou a possibilidade de doutrinação de material pedagógico, que é o KIT GAY. Lamentavelmente, na primeira etapa do Plano Estadual de Educação, isso foi inserido, em grande parte dos municípios do Estado.

JM Notícia – O governador Marcelo Miranda, tem ciência deste Plano Estadual de Educação, onde se insere o KIT Gay, rejeitado pela Câmara Federal?

Eli Borges – Sim, estivemos com o Governador Marcelo Miranda, falamos da nossa preocupação, com as nossas crianças e famílias do Estado, para a não aprovação deste Plano, que é o Kit Gay, nas escolas públicas do Tocantins. Eu acredito que o governador não permitirá que isso vá para a Assembleia, e acredito que Assembleia terá coragem de defender a família.

JM Notícia - O que fazer com os 139 municípios do Estado, o que pode ser feito para evitar aprovação desse projeto?

Eli Borges - É alertar todos aqueles, pais, mães, filhos, que entendem que o caminho da família, é o da Biologia, da palavra de Deus. Que eles se movimentem, vão atrás dos vereadores, dos prefeitos, da Secretaria de Educação de seus municípios, e não permitam que expressões como a Ideologia de Gênero, conhecimento do corpo infantil, diversidade sexual, vire material pedagógico, doutrinação em sala de aula, tanto rede publica estadual como municipal.

JM Notícia – Deputado Eli Borges, até quando será votado esse projeto nas Câmaras Municipais do Estado?

Eli Borges – O Plano Nacional da Educação determinou que os Estados e Municípios, tenham que fazer os seus planos até o dia 25 de junho. Há certa pressão de setores interessados na Ideologia de Gênero, mas deixo claro, que o prazo, vai até o dia 25 de junho, que nenhuma Câmara Municipal, precisará correr para aprovação dessa temática. Oriento àqueles municípios, que já aprovaram esse plano, que os prefeitos, possam a tempo, rever, se existem essas buscas muito manhosas, no meio de frases.

O que eu quero deixar bem claro, que não tenho nada contra os homossexuais, agora, entendo que, tanto para homo como para hetero, a intimidade, deva ser vivida na intimidade. À medida que um grupo, coloca a sua busca intima, em material pedagógico, consta para mim um grande desrespeito para a família.

JM Noticia - Deputado, o que pode ocorrer se esse Plano for inserido a Ideologia de Gênero nas Escolas Municipais?

Eli Borges – Olha, a primeira coisa que me preocupa, é que ele dura pelo menos 10 anos, e a segunda, os professores da família tradicional deverá compreender que leis, tem que ser obedecidas, e quem desobedecer, consequentemente terá problemas jurídicos, administrativos, porque alguém poderá acionar alegando discriminação, caso, se recuse a negar a doutrinação determinado pelo Plano Municipal.

FÉ EM JESUS PUBLICA NOVAS IMAGENS DO KIT GAY DISFARÇADO; DESTA VEZ, ELE ESTIMULA CRIANÇAS A FAZER SEXO

     

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!